quinta-feira, 11 de março de 2010

A menina do elevador

Atualmente a violência tem tornado insuportavel essa coisa de condominios. Eh uma dificuldade entrar neles se você for inocente. Dia desses fui visitar uma amiga e, como sempre, fui barrado na portaria, um porteiro gentil estava segurando a porta, achei que era pra mim e resolvi entrar, fui educado:


- Boa noite!

Ele também foi muito gentil:

- Ta querendo ir aonde??

- Ah, eu quero ir no bloco X, no apertamento Y.

- E é pra falar com quem lah?

- (???) O nome é Fulana.

- Hum... Vai la

- Ok.

Qualquer pessoa normal iria la. E iria numa boa. Eu fui numa boa também, mas fui meio puto, sou um cara muito estressado, odeio quando desconhecidos me fazem perguntas. Estava certo que enfrentaria outro interrogatorio na outra portaria, me preparei pra isso, decorei as respostas e fui.

Chegando la havia uma menina parada na porta mexendo no celular, o certo seria dar boa noite e ser gentil, mas havia deixado minha educação la com o porteiro, ai passei direto e...


... e me fudi.


Dei com a cara na porta. Fui direto para ela, sem nem me perguntar pq a garota estava parada ali sem entrar, empurrei-a (A porta, não a garota) pq onde deveria haver um porteiro jazia uma placa dizendo que o mesmo estava na Mallu janta, ai descobri pq a garota estava ali parada sem entrar, a porta estava trancada, obvio. Quebrei a cara. Antes mesmo de ficar sem graça a garota (Que provavelmente morava ali e não precisava gastar a educaçao dela na portaria) me destinou um sorriso muito gentil e disse:

- Ja tem gente descendo pra abrir.

Confesso que fiquei muito aliviado por ela não ter dito: "Esta trancada" Pq nessas horas todo idiota faz isso, repete o obvio. Ela não. Em vez disso me obrigou a reativar o comando "Educação" no teclado. Devolvi o sorriso. Foi o maximo que o meu pacotinho reserva de educação me pertiu. Fiquei frustrado comigo mesmo, mas finalmente alguém chegou e abriu a porta.

Um cara segurou a porta pra menina entrar, ela foi na frente e quando eu ia entrar ele resolveu sair a largar a porta na minha cara, pensei: " Seu grande filho de uma puta! Opa!" Me enrolei um pouco com a porta e sai correndo pelo pequeno trecho de corredor que levaria ao elevador, fiz isso achando que a menina iria subir e me deixar ali, esperando o proximo.


Me fudi de novo.


Quando cheguei no elevador ela estava gentilmente segurando a porta, imaginei que era pra que alguém pudesse sair e como de onde eu estava não tinha com ver dentro do elevador parei e esperei a suposta pessoa sair.

...


A menina olhou pra mim e fez um leve gesto com a mão.

Caraca! Era pra mim que ela tava segurando o elevador, que burrice a minha! Fiquei sem graça e entrei, apertei o andar, que era X, assim como o bloco, me dei conta disso naquele momento e pensei: "Porra, quando crescer quero um endereço assim tbm. Facim de decorar, mané..."

A menina entrou e continuou mexendo no celular, mas antes me destinou um risinho.



_______Pausa aqui________

Preciso explicar que pra mim um risinho é aquele negocio que os bipedes humanos fazem com os labios sem mostrar os dentes. E pode ser acompanhado de um som, ou não.

O que é diferente de um sorriso, nesse os dentes aparecem. O som tbm é opcional.

Na gargalhada a garganta aparece também, junto com o dente e o som é obrigatorio.

No ataque, além da garganta, se vc for um cara observador, pode até ver um bom pedaço do esofago do elemento sofrendo o ataque. Mas nem todos são capazes de ter um ataque, geralmente as pessoas param na gargalhada mesmo.

Bom, feito os devidos esclarecimentos, posso continuar.

______A pausa acaba aqui _______

O risinho poderia ser interpretado como:

"Ta calor né?"

Ai eu respondi com outro risinho, o meu tbm foi mudo. E poderia ser interpretado como:

"Pois é"

Mas, isso é questão de ponto de vista. Poderia muito bem ter sido:

"Vc é bem idiota, mas eu não sou preconceituosa, vou dividir o elevador com vc"

E a minha resposta poderia ter sido interpretada assim:

"Ta calor né?"

Enfim, mal sei falar português e entender um pouco de francês, ainda querem que eu saiba conversar via risinhos? Pelamordedeus.

O elevador fez uns sons estranhos e começou a subir. Minha mão ficou molhada rapido. Odeio elevadores, pq não fui de escada? Ai pensei que eram poucos andares, fiquei tranquilo, se cair num da pra morrer. Eu acho.



Chegamos.
Digo chegamos pq como ela não apertou nenhum outro botão achei que ela estava indo pro mesmo andar que eu. Ela disse: "Boa noite." Abriu a porta e sorriu (Sabe, mostrando os dentes? Então. Foi um sorriso mudo) Ai ela saiu e eu fui atras, afinal era o meu andar. Ai ela virou onde eu ia virar e voltou rapido, me assustei um pouco e ela disse:

- Opa! Andar errado!

Pensei: "Tudo bem, isso acontece!"

Disse:

- Tudo bem, acontece.

Ela sorriu de novo, agora com um som. E foi embora dentro do elevador.

Ai pensei "Porra, ela errou o andar mesmo? hahahahahahaha! Coitada!"

Ai toquei a campainha.

---Privacidade aqui ---

Quando estava indo embora, fui acompanhado até o corredor pela pessoa que fui visitar.

Nessa hora disse a coisa mais idiota que alguém poderia dizer: "Odeio vir aqui"

Caralho! Na mesma hora me arrependi. Me expressei mal, idiotas semrpe fazem isso, espero que a pessoa não tenha levado pro lado pessoal. Espero mesmo. Tentei explicar (Todo idiota tenta explicar suas idiotices. Eh tipo uma lei. Logo apos a merda, piore-a tentando explica-la. Paragrafo unico): "Eh que sempre me param na portaria..."

Obvio que isso não seria suficiente pra corrigir uma cagada dessas, dã! Ai resolvi contar a historia da menina do elevador. (Essa é meio que outra lei: Depois de piorar bastante a merda, mudar de assunto e fingir que nada aconteceu. Afinal, merdas cagas não votam ao cu. Dizia o poeta)

Ri um pouquinho e o elevador chegou. Me despedi (possivelmente pra sempre) e fui.

Entrei no elevador e ali havia um pequenino ser apoiado na parede do elevador, tranquilo, como se andar naquilo fosse super seguro... Invejei a criança.

Me encostei na parede ao fundo do elevador e descemos. Descer é ainda mais tenso. O elevador parou. Mas antes fez outros barulhos assustadores. Resolvi ficar parado ali, onde era seguro e esperar o garotinho ir até porta abri-la, mas antes dele alguém abriu a porta por fora e a ficou segurando para que saissemos. Ok, o guri saiu e eu fui atras, nessa hora vi quem estava segurando a porta pra mim.

- Oi! ... De novo... - Disse ela.

E dessa fez foi quase uma gargalhada. Quase! Mais um pouquinho e eu via a garganta. Sorri também, mas foi um sorriso mudo. Extenso, mas mudo.

5 comentários:

Pedro Porra disse...

Leozinho arrasando corações...!!!

Beatrix Kiddo! disse...

Ainda recebi a msg depois "(...) Retiro o que disse, adoro teu predio"

Quer dizer...

Marazzo disse...

- Ah então o p´redio era da Geórgia!?

----------

- Mas que porra de mina é essa que mora no 4 que anda dando risadas pro povo!?

---------

Porra de texto engraçado.

Léo disse...

Ela não mora no 4. Ela desceu no andar errado. =P

Beatrix Kiddo! disse...

No meu andar só rola gente mau humorada, inclusive eu, nem poderia ser.