quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Dois mil e dez



Eu nunca fiz aquelas promessas de fim de ano, nem listinha de afazeres pro ano novo. Nunca até hoje.

Nesse fim de ano já me brindaram com pequenas surpresas agradáveis, coisas (obviamente) inesperadas. Então, nessa onda, pretendo ir.

No que diz respeito a comportamento quero mudar minha forma de fazer escolhas, mais coragem e mais sinceridade. Sobre a responsabilidades, pretendo fazer o que sempre digo que vou fazer, mas nunca fiz. E quanto a atitude, mais, só isso.

Os desejos: Quero sorte, a libertadores, chance de experimentar novas comidas, mais que dois shows do móveis no ano, bons filmes, uma forma agradável de conseguir dinheiro e que, finalmente, seja decido o que se fazer quanto as emissões de CO2.


Lista:

Bom... erh...

Porra, não sirvo pra isso não, não mesmo.

Se eu tiver sorte meu ano vai ser foda, se eu não tiver, vou ter que transformá-lo num ano foda. É isso, simples assim...



Então pra você que vai ter um “réveillon” muito bom, em um lugar muito maneiro, com gente muito legal. Parabéns.

Pra você que vai passar na merda, sozinho ou com más companhias, relaxa, quando uma coisa começa mal você sempre se motiva pra tentar terminá-la bem. Ou não. Boa sorte.

Pra você que me desejou feliz ano novo, muito obrigado, espero que nesse ano você seja feliz.

E, finalmente, pra você que ganhou na mega da virada, cuidado pra não morrer, ajude muita gente e entre em contato, pois preciso de uma apartamento novo.

Espero que nesse ano minha família fique mais unida, que meus amigos estejam mais próximos e que o preço do cinema e do teatro caia um pouco.


Feliz aniversário pra mim, bom carnaval pra você e obrigado pelos peixes.

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Chuva



Foi hoje, foi no Rio de Janeiro, foi na taquara.

Eu vi uma avenida alagar completamente em 25 minutos.

Eu vi um carro que estava estacionado sair boiando.

Eu vi uma pessoa entrar em seu próprio carro pelo porta malas pois era o único lugar seco.

Eu vi uma mulher pegar uma criança no colo e tentar atravessar a rua com água quase no joelho. Como a água estava alta e com cor de merda, era impossível ver o meio fio, quer dizer, obviamente, que a mulher tropeçou na beira da calçada e, sim, levou um estabaco cinematográfico! Com criança e tudo! De cara dentro da água!

Eu vi pessoas saindo do trabalho com roupa social e entrar no alagamento com os sapatos e as meias pretas nas mãos.

Eu vi uma guria perder suas sandálias que foram levadas pela correnteza.

Eu vi um helicóptero sobrevoar o alagamento e filmar as pessoas ilhadas em uma calçada. Eu era uma dessas pessoas.

Eu vi na televisão as imagens que o helicóptero fez, e pude me encontrar ali, junto aos motoboys disputando um pedacinho de calçada.

Pois é, tudo hoje.

Hoje eu também tirei inúmeras fotos dos acontecimentos, mas não posso vê-las pois meu celular está quebrado.

Hoje eu gastei 3 reais comprando um salgado muito do safado numa loja muito da safada, pois era a única que eu tinha acesso.

E pra terminar, hoje eu provavelmente contrai leptospirose.





Proxima aquisição, um par de galochas. Sim, eu moro na cidade das olimpiadas de 2016

sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

É natal

Natal é aquela data em que os cristãos comemoram o nascimento de Cristo.
Uma data que inicialmente era data de uma comemoração pagã...

Pagão, segundo o Aurélio é "Que ou quem é adepto de qualquer das religiões em que não se adota o batismo"

Isso me faz pensar em quem não é adepto a religiões o que, por sua vez, me lembra o ateísmo. Ateu "
Que ou aquele que não crê em Deus"

Deus deu seu filho pelo homem, segundo os cristãos. Esse filho é o Cristo, aquele que "nasceu 25 de dezembro"

Então, seguindo uma matemática simples, é fácil deduzir que o ateu não acredita em Cristo.


Pronto.


Mas todo cristão vem com aquele papo de que o natal representa paz, amor, harmonia, é tempo de união e compaixão.


Irônico.

Sim, irônico. Irônico que esse ano meu telefone só tocou duas vezes no natal e foram meus dois amigos ateus. Desejando a seu modo um feliz natal.



Genial.



Feliz natal.

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Inimigo oculto.

Dos hábitos de fim de ano o amigo oculto é um dos que mais me desagrada.

Eu não gosto nem um pouco dele, mas o pior é que sempre existem diversas pessoas fazendo de tudo pra me obrigar a participar de um.

Isso me da muita dor de cabeça, mas no fim eu sempre consigo me livrar, e obviamente carregando a fama de chato. Só que é isso mesmo, se não fazer o que não se quer fazer é ser chato, sou chato pra caralho, mesmo.

Porém é compreensível que se faça essa brincadeira, admito que tem lá sua graça, não faz mal a ninguém e tudo mais...

Mas e o inimigo oculto??!


Desculpa, mas to pra ver brincadeira mais imbecil que inimigo oculto. Comparo-o aquela brincadeira idiota da garrafa, que as pessoas fazem pra ter uma desculpa pra poder fazer, falar e perguntar tudo aquilo que não tem coragem de fazer normalmente (Pois é, sou chato mesmo.).


O amigo oculto não é uma brincadeira do natal?!

O natal não era aquela época de paz, amor e sentimentos bonitos?!

Pelo menos na minha época era, hoje em dia não sei... Pra mim a palavra inimigo não combina muito com o natal.

E outra, você geralmente “brinca” de inimigo oculto com seus amigos! Isso tem alguma lógica?

Qual o sentido de você gastar tempo, paciência e dinheiro escolhendo alguma coisa que seu amigo NÃO vai gostar??!

Porra, ou isso ta muito errado ou eu to completamente, definitivamente, perdidamente, irrevogavelmente fora de moda.





Campanha, faça amor não faça inimigos. Muito menos inimigos ocultos.

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

E o funk?

Eu devia ter uns 5 ou 6 anos quando era moda as bermudas largas, o boné virado pra trás e aquelas gírias, ah, aquelas gírias bem características.

Era muito novo pra entender o que aquelas frases queriam dizer, mas meus pais não precisavam mudar a radio do carro quando a musica começava. O ritmo pulsante fazia impossível ficar parado por muito tempo.

Naquela época a musica não era importante pra mim, musica era só divertida. E naquela época eu chamava funk de musica, sim.



As letras, que antes, mesmo quando de duplo sentido eram cômicas. Havia também aquelas que eram repletas de criticas, políticas e sociais. E aquelas que nem eram bem letras, era só ritmo.

Mas e hoje?

Hoje não há duplo sentido, o objetivo é ser vulgar. E enquanto é vulgar ainda ta bom, não sei nem o que falar quanto as apologias, o crime sendo proclamado com júbilo.

Hoje é difícil achar uma critica ou graça. Hoje é fácil achar preconceito.




E o funk?




O funk era só mais um silva, que a estrela não brilha...

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Feliz 2009 pra você também

O ultimo dia antes da férias é único. Você acorda com um sorriso no rosto pensando que finalmente tudo vai ser facil e tranquilo.

Aí você levanta da cama e lembra que ele ainda é o ultimo, ou seja, ainda é preciso cumprir com suas obrigações.

O dia se arrasta e finalmente suas funções são concluidas, agora é férias!

Aí você chega em casa exausto e dorme, aí acorda no dia seguinte completamente acabado. Passa o resto do dia piorando, piorando e finalmente piora de vez. Não dorme a noite e cai em um hospital no seu primeiro domingo de férias, passa por um medico que nem olha no seu olho e que te receita remédios estranhos, a melhora não vem e você esta em outro médico que constata que você estar a mais de 24 horas sem comer é uam coisa grave e te da remédios ainda mais bizarros.

Você toma os remédios e apaga.

Já bem tarde você descobre que o domingo inteiro se foi, você está com o corpo completamente dolorido, com a fome de 5 ou 6 mendigos e seus respectivos cães e que seu sono foi pro caralho.

Descobrir que perdi um dia inteiro dormindo é agoniante pra mim, por isso fiquei de mal humor. Aí resolvi dormir mais.

Pronto, agora é segunda, os remédios fizeram efeito, estou curado da doença do fim de semana, mas minha garganta está começando a doer.

O normal seria me preocupar, mas não, não posso perder minhas férias assim...


Em algumas poucas horas vou sair. Compro algumas pastilhas e tá tudo certo.

E amanhã?

Bom preciso começar a pensar no que vou fazer na minha primeira terça feira de férias!






"Ao persistirem os sintomas, o médico deverá ser consultado"

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

O álcool



O álcool e o homem tem uma relação complicada. O homem e a labirintite também.


Esse final de semana um amigo meu resolveu comemorar seu aniversário em uma boate. Fui convidado e aceitei o convite.


Depois de idas e vindas finalmente paramos em uma boate. Ai foi aquele clima , musica alta, luzes piscando, essas coisas...


Pagando a entrada eu tinha direito a duas bebidas, como não tinha leite quente eu aceitei uma ICE mesmo, que é praticamente um refrigerante de limão (pra pessoas normais). Depois de pegar a garrafinha fui até a pista de dança, pois o resto do grupo estava la e, como alguém bem observou, em uma boate é tudo meio estranho, as pessoas viram pra um lado qualquer e ficam se sacudindo.



La no meio eu acabei fazendo isso também, é divertido se sacudir (é, eu sou fã do Moveis e do André).



Mas eu te pergunto: Para que???



Imagine-se rodando por 10 minutos sem parar. Agora imagina que depois de vomitar (Se vc for dessas pessoas que vomita assim) vc tem que colocar linha em uma agulha enquanto equilibra 8 laranjas na testa.

Isso é, no mínimo, 5 vezes mais fácil do que eu me manter em pé naquela pista de dança. Eu me mexia o tempo todo, mas quem dera se fosse por diversão, era pra eu tentar ficar em pé mesmo!

A minha sorte é que eu tinha uma companhia que era muito gentil (Ok, na verdade ela não curtia muito aquelas musicas) que me acompanhou até um canto onde eu pude ficar sentado...

Sim, eu fui pra uma boate e fiquei sentado no chão. As pessoas provavelmente estavam achando que eu bebi litros de álcool e estava completamente embriagado. Mas não. Não estava.


tentei imaginar como seria ficar bêbado. Mas eu sou certinho d+ pra afogar minha razão em copo de uísque... Sempre acabei preferindo estar sóbrio, até que a natureza resolveu me mostrar como é trocar as pernas...




Acho que na frente das boates deveria haver um aviso: "Aos possuidores de problemas no labirinto: que vc vai vomitar, ficar tonto e cair mesmo sem consumir nossas bebidas, fica estabelecido uma taxa de 10% no valor da entrada para custear a manutenção e limpeza de nossa pista de dança. Obrigado, a direção"

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Hoje tem marmelada?

Um dos momentos mais agradáveis do meu dia é a troca de e-mails entre meus amigos. Hoje, em especial, se tinha muito o que falar escrever, afinal hoje é dia do palhaço!!

Pois é querido carioca, que em breve terá que pagar a conta da iluminação publica também, hoje é seu dia!

Parabéns também pra você que espera pacientemente no trânsito enquanto seu querido colega de volante passa correndo pelo acostamento...

Hoje é seu dia, ser humano que trabalha o mês inteiro pra pagar dividas do banco enquanto o deputado que te prometeu uma escola publica melhor pro seu filho esta no exterior tirando fotos e engordando uma conta qualquer!

Alias, parabéns pra você que é correntista (Em especial aos correntistas do Itau, que podem ver aos sábados o dinheiro que paga de taxa sendo distribuído em um programa de TV)

E feliz dia do palhaço para aquelas pessoas que pintam o nariz de vermelho e tentam fazer com a vida seja um pouco mais engraçada, que são obrigados a ver sempre que sua profissão ( ou dom) é vista como ofensa e que precisa aceitar que qualquer coisa que faça rir é palhaçada, mesmo que seja a desgraça dos outros...



Feliz é aquele que busca a alegria, mas mais feliz ainda é quem tenta distribuir a sua.


"Deixa eu brincar de ser feliz"

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Vamos celebrar a estupidez humana

Eu tinha um post prontinho, feito no ultimo banco do meu ônibus, sobre este ultimo fim de semana. Eu ia reclamar um pouco da minha dificuldade pra entender Fluviometria, falar que consegui ver o segundo tempo do jogo e fazer uma referencia ao fato de estarem todos vendo o jogo e que ninguém estaria nem ai pra reunião que ia rolar pra discutir a emissão de CO2.

Ai comecei a ver a opinião dos outros sobre o fim de semana e me senti pequeno e irrelevante com minha Fluviometria.

Além da moçada exercitando os neuronios e "enquadradando" o bumbum fazendo prova do ENEM, da nação que vibrou, cantou e se estapeou, que atrapalhou o transito e chegou atrasada no trabalho segunda feira por conta do hexa do flamengo. Esse fim de semana também nos brindou com um FENOMENAL cheiro de natal!

Pois é, eu sou o tipo de cara que sente o cheiro das épocas do ano. faz algum tempo que venho sentindo este odor natalino, mas nesse "fds", com um simples passeio ao ar livre, pude aprecia-lo em sua totalidade.


Ahh...




P.S.: O cheiro de natal é o melhor do ano

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Teste pro meu coração

O legal das responsabilidades é que elas colocam um tempero especial na sua vida.

Hoje eu acordei 3 horas da manhã e não consegui mais dormir, tudo por causa de uma prova. Sou do tipo de pessoa que fica em um estado de nervos absurdo quando esta prestes a ser avaliado.

Tipo de atitude que não é la muito agradável, só me traz problemas. Já perdi incontáveis noites de sono, uma namorada e 3 kg por causa disso.

Hoje é a prova do século pra mim, ou melhor, a prova do semestre. Minha bolsa de estudos esta em jogo. Tenso.

Na verdade essa é uma das provas do século deste semestre, há mais uma semana semana que vem, no mesmo nível. Um nível bem elevado se você quer saber.

Nessas horas é que eu queria que todas essas pessoas que ficam desmerecendo minha faculdade e minha postura com relação a ela estivessem na minha pele. E eu poderia estar na pele de um urso polar, curtindo a imensidão branca de alguma geleira, quietinho, numa paz bem fria. Mas como não vou conseguir achar uma geleira por aqui, me resta buscar um pouco de paz. Tenho que inventar uma técnica pra conseguir me manter concentrado e ter um pouco de sorte, pq na minha cabeça eu NUNCA estudo o suficiente.



Primeira tentativa: Trabalhar. (Falhou)


Segunda tentativa: Usar minha meia hora do chocolate pra escrever. (Falhou e eu perdi meu chocolate.)


Terceira tentativa: Desistir e entregar na mão de Deus, torcendo pra que ela já não esteja muito cheia. (Em andamento)

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

TENSÃO


Antes de mais nada, para aqueles que ainda não sabem, preciso contar novamente uma historinha sobre aquele popular veiculo de circulação vertical, vulgo elevador.

Eu trabalho no 19° pavimento de um edifício na barra da tijuca, RJ.

Do térreo até este pavimento há uma distancia considerável, que por ser vertical dificulta um pouco mais as coisas. Como já é habito no mundo moderno, para vencer esse tipo de distancia a humanidade adotou uma maquina (como sempre) pra fazer este "servicinho sujo".E no prédio em questão, existem 6 dessas maquinas, onde 3 funcionam entre o térreo e o 12°, e 3 funcionam nos pavimentos restantes.

Ok, até ai tudo bem. Porém das 6 maquinas, apenas 5 funcionam perfeitamente. Uma delas, justamente uma das que vai até a cobertura, apresenta problemas frequentemente. E não é um probleminha simples, como ficar quente, ou fazer barulho, ela simplesmente despenca. Sim. Ela cai. Você aperta um botão dizendo que quer ir até o térreo, e a maquina obedece. que sem limite de velocidade, ela vai em queda livre.

Este "acidente" já se repetiu 3 vezes, com inúmeras vitimas fatais

Pronto, feito este breve esclarecimento, posso concluir.



Hoje resolvi descer pra comprar chocolates (Que junto com café é um dos meus vícios favoritos). Fui até o hall de elevadores e apertei um botão. Nisso ouvi um elevador chegar (O que apresentava defeitos) mas não consegui saber se ele estava descendo ou subindo, afinal a luz que me da esse tipo de informação estava com defeito. A porta se abriu e um ser humanos saiu de la, agora o elevador estava completamente vazio e eu pensei "Ah! com certeza ele ta descendo".

Me ferrei.


O elevador subiu (comigo dentro) até a cobertura ( Mais ou menos 72metros de altura) la entraram mais 7 pessoas (Fique atento que somando minha curta e magra pessoa, já são 8). Essas pessoas conversavam alegremente.

Ai o elevador começou a descer (óbvio) e parou no 21° onde assustadoramente mais uma pequena MULTIDÃO (de pessoas grandes, se é que você me compreende) entrou e espremeu as 8 que ali já estavam. O blábláblá foi ainda maior.

Uma dessas pessoas disse:
- Caraca, ta cheio!

Outra disse:
- Calma, tem 16, ta no limite!

Nesse momento, uma pessoa que estava compactada junto a placa de limite de peso apontou pra placa e disse:

- Limite máximo de pessoas: 15.

Todos leram:

Limite máximo de pessoas: 15.


Todo mundo riu. Eu também ri, afinal estava de bom humor.

Até que um elemento disse (mais ou menos enquanto estávamos no 18° pavimento):

- Esse não é o elevador que cai?

Alguém gemeu:
- Eh.





Silêncio.

Sorria, meu bem, sorria!

AVISO: Ganhei na loteria
AVISO II: Eh mentira.



Dizem que tem dias que a gente acorda e percebe que o mundo é lindo. Que os pássaros cantam uma melodia divina. E que o perfume da mais linda rosa toma o ar.


Pois é, isso foi exatamente o que não me aconteceu esta manhã. O mundo estava afundado na escuridão da madrugada, os pássaros estavam dormindo, com exceção de uma maritaca que berrava sem parar, e minhas narinas estavam tão repletas de muco que não sentiria o cheiro da rosa mesmo que ela estivesse enraizada no meu bigode.


Mas o despertador estava tocando, era hora de ir trabalhar.


Levantei, caminhei até a porta no escuro e chutei violentamente a beirada da minha cama. Porém, não proferi palavras de baixo calão ou urros de ódio. Apenas enxuguei a lágrima solitária que me saltou do olho esquerdo e fui fazer minha higiene matinal.


Higienizado. Refrescado pelo banho. Sem bafo, mas com olheiras, sentei a frente da TV para apreciar minha caneca de café.


Algo interessante estava sendo discutido no telejornal matinal. Mas não dei atenção, resolvi começar a rir de uma memoria que me passou na cabeça.


Achei estranho. Eu, rindo de manhã???!


Como não estava com febre, não havia usado drogas, nem álcool acabei chegando a conclusão que estava de bom humor. E é bom acordar de bom humor, por isso pretendo começar uma campanha que tem como objetivo transmitir meu bom humor.


Tentei começar no caminho pro trabalho, mas num deu muito certo. No escritório deu, mas aqui o povo já é bem humorado por natureza. Agora é vez de tentar no blog.



Eu te desafio a ficar de bom humor!




Duvido que você consiga.

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Cher Antoine,

aujourd'hui je me suis battu contre le sommeil. J'ai pris une raclée.


Hoje o dia parecia comum, até que de repente meus olhos ganharam mais ou menos uns 10 kg cada.

A luta foi feia. Afinal, qando se tem chefe não há muito tempo pra preguiça.

Sabe quando você ta de um jeito que perde a razão?

Pois é... Eu perdi.

Houve uma hora que resolvi testar meus poderes e permiti que meus olhos se fechassem, pra eu ver o quão forte sou.

Vi que sou até bem forte, bati com a cabeça na mesa uma única vez.


Uma coisa muito comum quando se está com muito sono e perde a razão é ganhar pensamentos idiotas. Daquele tipo que se puxa conversa em ônibus:


- Ta engarrafado ?
- Pois é.
- Então, pq será que quando se representa o sono em quadrinhos é com a letra Z?




Ok, eu sei que poderia buscar no google, mas com sono. Qual é, quebra essa, me diz !

Post sentimental

As vezes a rotina me desperta o lado emocional. Não sei se pelo cansaço ou pela distância dos que me querem bem, mas o fato é que se a rotina não te mata te torna um escravo.

Não odeio a minha rotina, pelo contrario, tenho orgulho dela, mas isso não impede que vez ou outra eu caia nas garras cruéis dela.

As coisas teimam em acontecer ao mesmo tempo, como se esse tal de tempo fosse muito curto pra esperar. Em um dia estamos imaginando, no outro, arcando com as consequências de ter realizado. Assim, sem meio termo.

Quando nos deixamos levar por uma rotina, acabamos por nem perceber as escolhas que estamos fazendo, e de repente o único momento que a ficha cai é quando estamos no escuro, numa prece silenciosa, encontrando uma paz que esquecemos que existia durante toda a agitação do dia.

Sozinho, as vezes, fico feliz por acreditar que Deus existe. Algumas pessoas precisam disso.

As vezes ter sentimentos é complicado. Outras vezes também.

As vezes não ignorar o que se sente é dito errado. Mas não me importo em errar.

Aceitando o que sinto melhoro meu humor, melhorando meu humor melhoro minha vida. E é assim... Indo.








...e livrai-nos de todo o mal, amém.

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Diz o aviso que eu li

Um dia desses, quase comum, estava na entrada A do BarraShopping, como sempre fico, esperando a banda passar van da minha faculdade. Quando do nada, dois elementos me cercam e acendem seus cigarros.


NÃO!!!



Mas eu estava ao ar livre, por isso pensei que tudo estava perdido, ou eu saía dali, ou matava um pouco mais o meu pulmão.

A preguiça era grande e o vento estava para o outro lado, ou seja, a fumaça não vinha na minha direção. Pronto, tudo ok.


Ok?!

Eis que chega um simpático segurança de 3 metros de altura, com uma cara de quem não gostou antes mesmo de comer e convidou o fumantes a ficarem longe de onde eu estava.


Simples assim.


Um dos assassinos de pulmões não ofereceu resistência, virou e foi para o outro lado da rua. O outro (uma mulher) resolveu discutir. Só o que pude ouvir foi a voz curta, grossa e decisiva do segurança:


- ... são as normas, você tem que ficar no mínimo a 4 metros de distancia das pessoas.

- Mas... (blablabla)... (blablabla)... posso ficar ali?

-Não.

- Vou ter que atravessar a rua???!

-Vai.

- (reclamações e pragas)

- Obrigado.








Eu ri.

domingo, 29 de novembro de 2009

O que é broxante pra você?


Vendo a vida como se ela fosse um filme, classifico os momentos de comédia como os mais relevantes.

As cenas são absurdamente surreais. Só podendo, assim, ser ficção!

Não é real você ensaiar frases clichês por minutos sem fim na cabeça e no momento que encontra a pessoa amada eis o que acontece:

- É que eu queria te falar uma coisa
- Ta bom, fala
- É que eu...
- Não! Peraí, tenho que te contar uma coisa antes. Posso?
- Ah, claro. Conta aí
- Na verdade eu quero saber sua opinião sobre uma coisa.
- opa, pode falar.
- Sabe o fulano? Aquele que mora no meu prédio?
- Sei. Sei, sim.
- Então, acho que a gente vai ficar! Ele me chamou pra sair!!! Não é d+??!
- ... ô!
- Ai, ai... To muito ansiosa. Mas então, fala aí, o que você queria me contar?

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Pensamento

Todo ser humano, terráqueo ou não, tem um universo na cabeça.

Pra viajar por esse infinito de ideias, imagens e tudo mais, dispomos do pensamento. Assim nos diferenciamos dos outros animais; pensando.

O pensamento é como um veiculo que nos transporta por nossa própria mente. E como diz a tal piada, o pensamento é a coisa mais rápida do mundo. é um veiculo capaz de estar em todos os pontos do universo ao mesmo tempo (Pros mochileiros de plantão, ele funciona com propulsores de improbabilidade infinita).

Amigos.
Praia.
Férias.
Sexo.
Futebol.
Drogas.
Física.
Ela.
Shakespeare.
Tudo.
Maçã.
Eles.
Inglês.
Nada.

Enfim, pro universo não fim. Podemos pensar em tudo.

No universo que é minha mente, tenho viajado muito. Porém meu pensamento tem me levado pros lados mais obscuros desse infinito. As vezes nossa nave pensamento entra no piloto automático e precisamos retomar o controle, do contrario podemos acabar caindo em galáxias não muito agradáveis.


Eh um erro deixar nosso pensamento a deriva. Porém erro ainda maior é não navegar.



Pense nisso.

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

E esse tempo, sera que muda?


Algumas coisas no mundo tem o poder de unir povos. Por exemplo o futebol e o engarrafamento.

Tais situações emitem um sinal que diz que, naquele momento, vc e qualquer outro no seu campo de visão que esteja sofrendo a mesma coisa, estão unidos e podem iniciar um dialogo.

Eu vim com um defeito grave de fabrica. Além de não reconhecer esse sinal, desaprovo-o.

Não é porque o ônibus esta preso em um engarrafamento que eu sou obrigado a conversar com o cara que esta do meu lado, até porque eu nada tenho a ver com o reumatismo dele.

E Deus não criou o clima com o intuito de nos fazer relatar coisas óbvias, como:

- Caramba, ta muito calor!
- Aé??! Ainda bem que vc me avisou, nem tinha reparado.

Respostas como essas as vezes são o que a pessoa pede, mas nem todos conseguem dar, eu, por exemplo, acabo sempre tentando ser gentil. Eu até entendo que o que a pessoa quer é ser agradável, mas quando vc não conhece a pessoa ao seu lado a chance de ser desagradável é muito maior.

Até pq, geralmente, quem inicia esse tipo de assunto não pergunta alguma coisa coerente e sim afirma uma coisa muito idiota.

- Esse motorista é muito lerdo! Não sabe trabalhar fica em casa, né?! Ele dirige muito mal, né?!

(é, na verdade ele tinha que dar um jeito de passar com um ônibus de mais de 5 metros de largura em um espaço de menos de 1. Puta incompetente!)

Ou tenta se exibir.

- Se eu tivesse pilotando a gente já estava la! Ma que cara morrinha! Uma vez eu fiz esse mesmo trajeto com um fusca na metade do tempo. Tinha que ver o fusca, a primeira não entrava de jeito nenhum, ai eu...

Ou tenta ser engraçado.

- Melhor esperar nessa fila que ouvir a patroa reclamando em casa... hahaha!

Ou pior, vc se quer entende o que a pessoa quer dizer.

- Hoje ainda tem RFG, vou dizer oq pro meu chefe?

Feliz seria se o cara que resolvesse puxar assunto fosse agradável e útil.

- Essa fila ta foda, meu tio é o dono, bora entrar pelo portão VIP.







Pois é... O dia ta bonito hoje, né?!

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Um belo dia

A pessoa não consegue dormir, aí vai pra varanda pensar besteiras porque lá é mais arejado. A mesma pessoa pensa que é preciso estudar fenomeno dos transportes por que vai ter prova durante a semana e já foi mal na primeira avaliação. A pessoa pensa que essa febre e essa dor no corpo vão dificultar muito sua semana de trabalho (e de prova).

Aí você para pra pensar o quão incoerente é o ser humano estar numa varanda as 3 da madrugada
pensando em provas e no trabalho. Depois, ainda parado, pensa: porque não faço algo realmente interessante?

Mas as 3 da manhã?


A primeira coisa que vem a mente é telefonar pra um amigo. Mas só tenho 3 e nenhum deles é tão meu amigo assim a ponto
não querer me matar por isso.

A segunda coisa que vem a mente é dar um mergulho na piscina. Mas eu não tenho uma piscina.

A terceira coisa que me vem a mente é: Se eu perdesse um braço, como eu faria pra amarrar o sapatos??!

A quarta coisa não me veio, exatamente, a mente, mas passou ali perto e eu captei. Era alguma coisa
sobre o efeito do álcool. Mas eu nem bebi...

Como quinto pensamento foi o dia em si que me veio a mente, como um dia que começa assim pode terminar??!
Alias, eu nem sabia que dia era, só fui descobrir que era dia 21 bem depois, quando comecei a escrever e vi no relógio do computador. Se fosse dia 22 tudo faria mais sentido, seria um dia louco, mas era dia 21... Um dia que nunca vez mal a ninguém. Dia do aniversário da Roberta e da Alcione, dia do casamento do José Luiz com a Silvia, primeiro dia das ferias do Marcelo e ultimo dia no hospital da Susan, que finalmente levaria seu filinho Carlos pra casa, um dia feliz, bom pra um monte de gente... Mas e pra mim, o que vai ser?

Aí chegou a sexta coisa, a lamentação. Lamentar por ter que estudar. Por não ter uma piscina, por não ser meu aniversário ou meu primeiro dia de ferias. Lamentar
por o Obina voltar pro flamengo e a França ir pra copa. Lamentei até não ter um objeto, mesmo nem sabendo pra que ele serve. Lamentei pelas pessoas que não tem braço e por isso tem dificuldade com os cadarços. Lamentei perder meu tempo lamentando.

Sétimo pensamento, a aceitação. Pensei o quão insuportável eu estava sendo estragando a madrugada de um monte de mosquitos, que estavam por ali me acompanhando.
Pensei que faria de tudo pra ter um dia excelente, me convenci a voltar pra cama e me obriguei a passar o dia inteiro de bom humor. Se isso não desse certo eu poderia ficar uma semana inteira de mal humor. Sorri comigo mesmo. Pensei que eu era um cara idiota muito engraçado.

Voltei pra cama pra tentar dormir.









Se você estiver lendo isso é sinal que não consegui dormir. E se eu não consegui dormir será muito dificil ser bem humorado, por isso se eu sorrir pra você hoje, sorria de volta.

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Filósofos

Na minha rotina diária e repetitiva a hora almoço é composta pelo almoço em si e um passeio até o outro lado da rua pra comprar chocolates.

Um belo dia, desses quentes e abafados, fui até a loja de sempre, comprar um dos chocolates de sempre. Eis que na fila do caixa presencio tal dialogo entre os atendentes:


- ... Só sei que nada sei...
-... é, como disse o filosofo
- Platão.
- Foi Platão?
- Num sei, eu sempre confundo... Agora não sei se foi Platão ou Pitágoras
- Haha! é tudo filosofo mesmo...

- Olá senhor, posso ajudar?
- ...




Pode sim, que tal começar se desculpando com Sócrates. Hum, que tal?

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Ja imaginou?

Um ônibus. Você entra e não há mais lugares para sentar. Você se posiciona em um lugar qualquer e se acomoda. Você esta segurando ma bolsa/mochila/sacola.

Gentilmente o passageiro sentado na sua frente se oferece pra segurar suas coisas:

- Quer que eu segure?
- Ah, obrigado, quero sim.
- De nada

O tempo passa e chega o seu ponto. Você solicita suas cosias de volta:

- Obrigado, já pode me devolver
- Que???!
- As minhas coisas, você já pode me devolver
- Suas coisas??? Essas coisas são minhas!!!!- ...



Tenso.
E você, o que faria?

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Um ensaio sobre...

... relógios de rua.

Um aparelho fascinante, não?

Seu funcionamento é perfeito:

Olhamos pra ele quando queremos ver a hora e ele mostra a temperatura.

Olhamos pra ele quando queremos ver a temperatura e ele mostra a hora.

Simples. Mas complexo.


Uma salva de palmas pro cara que o inventou!



Só falo isso...



... isso e dois ou três xingamentos.

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Ponto de vista


As vezes vemos as coisas pelo seu pior ângulo. Digo isso por causa do meu feriadão.

Eu ia viajar. Fazer aquele programa família. Crianças correndo e se estapeando por motivos fúteis. Mães discutindo qual filho é o mais comportado. Cervejinha pra uns. Coca light pra outros. E por aí vai...

Porém, contudo, entretanto, perdi um dia do feriadão fazendo prova de francês. (Merci
beaucoup mon Dieu!). Sendo assim, com um sábado a menos no meu currículo de feriadões, parti ao cair da noite.

Cheguei.

Tempo maravilhoso, os familiares sortudos que chegaram na sexta à noite estavam queimados de praia e completamente exaustos de tanta diversão. Pensei: Amanhã é a minha vez! (Déjàvú).

Como já estava tarde, mal cheguei e já estavam todos se arrumando pra dormir. A casa estava lotada.

Acabou o espaço dentro de casa.

Arruma-se, então, camas na garagem. (Isso, na garagem)

Ok, acabaram as camas.

Faz-se na garagem, então, uma enorme cama usando lençóis e edredons. Ok.

Acabou, agora, o espaço e as camas. A sorte é que só faltou uma pessoa pra dormir... Eu, obvio.

Daí, sem cama, lenço ou documento, fui pra varanda. (Sim, uma dessas varandas que quando você passa na rua consegue vê-la e até mesmo atirar objetos nela se quiser)

Dormi em um canto, em cima de almofadas. Como um cãozinho enrolado no jornal... Peraí! Não! O cãozinho da família também tinha uma caminha dentro de casa (É serio). Ok, pelo menos amanhã vou meter o pé na jaca.

Goteira.

Pois é, caiu uma tempestade. Meu domingo começou assim, meio assim. Agora imagine você, a pessoa sai pra viajar e acaba ali, dormindo na chuva depois de fazer prova e antes de perder todo o domingo em casa.

Ruim?

Olha, vou te dizer que não. Faria tudo de novo.


É legal a família ficar mais próxima. Tudo vira motivo pra piada. Isso é bacana.

Passar o dia jogando futebol na chuva e ouvindo legião urbana enquanto isso...

... Fantástico.

Aí a noite vem. E o
lha o que a noite tem. Tem conversa na varanda ao som de gun’s. O papo era sobre o Rock in Rio e minha dor de corno por não ter ido... Sim! A chuva arrasando lá fora e dentro da garagem o Rock comendo solto! Yeah!!!

Aí o domingo acabou, o sol apareceu, fomos à praia e a graça toda acabou.

Fim.




P.S.: Sobre o lance de dormir na varanda e perder o teto pra um cachorro. Então, to pensando em fugir de casa, alguém aí pra me abrigar?

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Aqui não tem, mas no trem tem

A humanidade e suas misteriosas invenções. O trem, uma delas, me fascina desde o útero. Seria aquela minhoca de metal um mercado sobre trilhos, ou seria aquela bodega um meio de transporte de massa?

Outro dia fui a outra cidade tentar comprar um objeto peculiar que não encontrei por aqui, pela cidade das olimpíadas 2016. Vaguei pelo subúrbio e o centro. Nada. Então resolvi ir às cidades da baixada fluminense. Vaguei por la, também em vão.

Já vencido pela fadiga, resolvi voltar pra casa. Pensei: Vou de trem.

E fui.







Desapontado pela falta de sorte, já havia me convencido que nunca mais encontraria o tal objeto. Porém minha pouca fé foi abatida à gritos:





- Amendoins! Bala! Chicrete!

- Bacia! Coco! chinelo!

- Linha! Peão! Prego!

- Tijolo! Cachorro! Esporro!

-Pistola! Mãe! Paçoca!


Meu Deus! Ouvi de tudo, de picolé a rodapé. De barro a carro. De tudo a mudo. De medo a Pedro. De Deus a me livre e guarde. Fato: Se em algum lugar não tem, no trem tem.

E tinha.


Fiquei feliz.

amigo, quero paz, sossego, tem ai?

Tem, mas acabou.

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Exageros do cotiano


Ai deu 6 horas, , e eu tinha que levantar. Legal. Tomei banho, comi alguma coisa, separei o dinheiro da passagem e rumei pra portaria do inferno pro ponto de ônibus. Beleza.

Como caia uma chuvinha safada e eu não gosto de guarda-chuva, coloquei um casaco, daqueles que são impermeaveis, pra não molhar a roupa. Beleza.

3 horas no ponto.
15 no ônibus.
O pânico de sempre no elevador.
Beleza.

Sento na frente do meu computador de trabalho e começo...

Sinto alguma coisa na minha nuca, algo parecido com um inseto caminhando. No ônibus havia acontecido algo parecido, mas não achei nada na hora. Por via das duvidas levei rapidamente uma das minhas mãos, a direita pra ser mais exato, com seus cinco dedos, cada um portando uma unha na ponta e...

Ai porra!!

Tinha alguma coisa ali e essa coisa me atacou. E essa coisa tinha mais de cem patas. E essa coisa atende pela alcunha de lacraia.

Tal foi minha indignação diante do ataque daquilo, que cruelmente o assassinei com minha borracha. Vou pro inferno? ? Beleza, chegando la pego ela de pancada, por ter me envenenado e por ter me privado de desfrutar do reino dos céus.

E ai, o que aconteceu? (O mamute pequenino)

Olha, na hora nem doeu, mas depois doeu. Meu pescoço cresceu, ou melhor, no meu pescoço cresceu... cresceu uma espécie de monumento em memoria da centopéia morta. Era uma bola meio avermelhada, não muito grande, mas dolorida.

Mas de onde veio a lacraia?

Então, eis os possíveis lugares de onde ela pode ter saído:

* Do ônibus
*Do banco do ônibus
*Do meu casaco, onde ela teria entrado ao tentar fugir do tumulto no ônibus.
*Do inferno.
(, falei do ônibus).






Postagem digitada de uma maquina francesa, por isso ignorem as correções ortográficas equivocadas e a falta de acentos. Merci beaucoup.

domingo, 18 de outubro de 2009

Sorria, meu bem

Durante a semana seu tempo é todo destinado a trabalho e estudo, sobram 6 saborosas horas pra dormir. Mas aí vem o fim de semana e a partir de meio dia de sábado você está livre pra fazer o que quiser...



Livre?


E quando seu corpo entra em curto? Garganta. Cabeça. Febre. Dor. Desconforto. Falta de ar.
Sim, o fim de semana que qualquer masoquista queria...


Só que tem um problema, eu não sou masoquista.

sábado, 17 de outubro de 2009

As melhores musicas de todos os tempos da ultima semana


1-SKA! (Os paralamas do sucesso)
2-Modern Nature (Sondre Lerche)
3-Pátria que me pariu (Gabriel o Pensador)
4-Como nossos pais (Elis Regina)
5-Go With The Flow (Queens Of the Stone Age)

domingo, 11 de outubro de 2009

Olimpíadas



Do meu trabalho pra minha casa em um dia de transito cheio gasto 40 minutos.


Choveu na cidade das olimpíadas de 2016.

Demorei 2 horas pra chegar em casa.

Aí penso em como vai ser quando além dos cariocas centenas de turistas estiverem passeando por aqui, quero saber onde vão enfiar tanta gente.


Aviso logo, no meu é que não vai ser.


Imagino também quando vão começar os protestos...
Fico pensando se algum vai ter cabimento.


Não sou contra as olimpíadas aqui. Pretendo participar dessa festa, mas quero só ver quando as coisas vão começar a mudar. Se demorar muito estarei na rua com a cara pintada batendo em panelas e exigindo alguma coisa.

sábado, 10 de outubro de 2009

Procuro vida inteligente para relacionamento serio e de média duração.

Quando se tem apenas 19 e seus hormônios estão à flor da pele e sua cabeça está repleta de bobagens as coisas geralmente seguem uma linha comum: álcool, sexo, drogas e rock’n roll.

Todo mundo ao meu redor só fala nisso. Hoje em uma conversa online recebi um convite para uma curtição regada a álcool e orgia. Não me interessei.

Sei que isso foge a normalidade. Alguns vão achar que eu sou gay, outros vão afirmar que eu sou uma aberração.

Eu simplesmente estou cagando e andando pros outros.

Mas realmente apreciaria muito que alguma vida bípede inteligente entendesse ou respeitasse essa minha “anomalia”. É frustrante estar cercado por gente que segue a mesma moda. Sou um cara completamente fora de moda, sou excluído da manada.

Amanhã, quando tudo isso passar vou estar igual a todos, vou ser vencido pelo sistema. Mas ainda não perdi. Enquanto há esperança, há esperança.


E a minha esperança é achar no palheiro uma agulha que não se entregue a mesmice, que goste de inovar e que pense, afinal pensar saiu de moda a muito tempo...





Me entrego ao rock!

Era uma vez, em um dia chuvoso

Um amigo de amigo meu conheceu uma menina muito simpática, trocaram algumas palavras e ela se foi, deixando na lembrança dele alguns vestígios. Ele estava a levar uma vida agitada e pouco divertida, talvez por isso ficou ansioso pelo momento em que iria vê-la novamente. O que aconteceria alguns dias depois. Isso era a coisa que ele mais esperava, guardava no peito muita expectativa.


Eis que os dias passaram e ele a reencontrou. Conversaram mais. E mais. E...




... e ele descobriu que ela era insuportável.

Fim.

Digite um titulo aqui


Passeando alegremente de ônibus dia desses me deparei com a seguinte questão:

E se...?

Eu sou um cara que pensa, sente e imagina. Mas também sou um cara que omite o que pensa, sente e imagina.

Culpa da sociedade?
Da educação que recebi?
Da vergonha que cultivo?
Das drogas que nunca usei?

Talvez até seja culpa de Deus, ou Freud... vá saber...

O que sei é que acabo não falando o que vai à minha mente e atualmente morro de curiosidade pra saber se isso é bom ou ruim. Mas...


... não faz diferença. Nem sempre alegre e feliz, mas faz, faz diferença.

sábado, 3 de outubro de 2009

Sabe o que não ajuda muito?

Você perdeu a hora. Fato que se fudeu, ponto.

Mas você ainda esta funcionando e acelera as coisas. Engole um café, cospe uma pasta na pia, taca a mochila nas costas e vai ao encontro da sua sorte.

Obviamente suas sorte já não estava lá, afinal você está atrasado. Aí é a hora de seguir mesmo sem sorte e sem musica já que na pressa o MP3 ficou em algum lugar junto com seus óculos. Mas é isso aí, vida que segue.

Eis que em dado momento alguém lhe aparece com um belo sorriso na face (lembrando que você está puto, ok?). Claro que você nem percebe até que a besta / pessoa diz:

- Você esta atrasado hoje, heim!

A ficha cai, é com você mesmo, ela repete vendo que você não deu atenção:

- Ta atrasado hoje, heim!

Duas respostas vem rápido a sua boca, mas por acaso a menos esperada é a que sai:

- E sabe o que não ajuda muito?

Antes de perceber o que disse o resto sai:

- Ficarem me lembrando isso!

A pessoa assimilou:

- Grosso! Sem educação!


Aí tudo faz mais sentido, agora você entende porque deixou sair a resposta menos esperada...

... ela era só o abre alas, o melhor estaria por vir. E veio:

- Foda-se!

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Ta ruim, mas ta bom.

Eu tenho N posts rabiscados em algum lugar pela minha mochila. N novidades pra compartilhar. X papos pra por em pauta. Mas...

Não tenho tempo.


Essa semana encontrei uma garota, meu coração até bateu mais forte, mas sem exageros... a parada é que to doido pra vê-la novamente e sei que é provável que isso ocorra daqui a uns 10 dias e isso é absolutamente tudo que vislumbro a nível de felicidade futura... Ser ignorado por uma garota.


Ou seja...



Aí também entrei em semana de prova. Não consegui estudar e estou muito fudido. Posso reclamar?
Posso... Mas com quem?

Então...


Aí eu entro no orkut com os 5 minutos que me restaram do almoço e vejo vários amigos trocando recados engraçadinhos e eu ali, de fora. Aí eu mando mensagens pro celular de alguns amigos em uma tentativa desesperada de ser percebido e me sentir de volta ao meu mundo, eis que sou carinhosamente...



... IGNORADO.

Pois é, voltei a ser sentimental.


Quer dizer...

domingo, 27 de setembro de 2009

Domingão!



Estava eu aqui esperando um trabalho da faculdade chegar por e-mail, aí resolvi ler blogs... E porque não o meu???!

Fui em setembro pra reler um post sobre o dia de são Cosme e são Damião e simplesmente não consegui parar... Conclusão: Eu já fui bom em escrever postagens. Eu ri. Ri de verdade. Genial.



Hoje o dom passou e eu não tenho mais tempo, não escrevo, não me divirto nem vejo meus amigos, tanto que alguns nem sabiam que eu estava usando óculos. Então meu povo, gostaria de comunicar meus amigos que a Erica deu a idéia de fazermos uma trilha no dia 12 no parque estadual da pedra branca e eu queria que todos fossem.





Mas sei que a Gê não vai porque ela nunca vai, o Pedro é bem improvável que vá por motivos óbvios. Restou o trio ternura e a Erica, então vamos la pessoal! Não vamos deixar essa porra dessa peteca cair! Preciso de divertimento!!!


Mas e se chover??!

Aí precisaria de um palno B. Pensei: podíamos nos reunir na casa de alguém que tenha um DVD e assistir alguns bons filmes e jogar conversa fora... hum?? Hum?? Que tal???!

sábado, 26 de setembro de 2009

Dia mundial sem carro. (ainda isso ??)



Eis que criaram um dia para que os bípedes calçados deixassem seus veículos motorizados em casa. Porem só descobri que isso existia por volta da metade do dia, pensei ‘inda bem que não ando de carro’. Mas não é sobre a divulgação que quero falar e sim sobre nosso ilustríssimo prefeito, que deu o exemplo indo trabalhar de bicicleta...

(Uau!!!!)

Pois é, acho que ele deveria continuar engajado nisso e experimentar além da bicicleta um transporte coletivo. Uma das propostas do dia é que você ande neles em vez de andar com seu carro. Sugiro ao prefeito o 708 indo pra barra as por volta das 7 horas da manhã. E digo mais, que pegue o ônibus em um dos pontos da curicica. Ou, quem sabe talvez, o 756... o 701... Enfim, andar de bicicleta na zona sul cercado de seguranças e fotógrafos é mole, quero ver ir pro subúrbio e encarar um 'buzão' na hora do rush!

Viva o meio ambiente!


Fica a dica sr. Prefeito

domingo, 20 de setembro de 2009

L'ignorance

- Ta trabalhando onde?
- ... empresa... engenharia... francesa.
- Ih! Sabe falar francês??
- Não, não... Vou aprender ainda.
- Ih Alá! Que maneiro!
- É...
- Fala alguma coisa em francês aí!
- ... eu não sei...
- Coe! Como é obrigado?
- ... Merci...
- hahahahahaha! Legal!
- ...
- E buon giorno, é o que?
- ... é bom dia...

(...)

... em italiano...






Oi, tudo bom? Só queria comentar mesmo. Bejunda.

sábado, 12 de setembro de 2009

Rotina

É assim que se faz quando não tem tempo, anota uma frase de cada vez (post it!!) e vê no que dá.


Despertador. Sono. Banho. Mochila. Roupa. Café. Escova de dentes. Rua. Ônibus. Ta muito cheio, vou no próximo. Próximo. Ta cheio também, mas vou assim mesmo que esse ta melhor. A mochila ninguém segura. Mais cheio. Um bebê. Um bebê??! ... – já vou descer, obrigada. Eu conheço aquele cara. Nem pra segurar minha mochila, filho da puta! Ela vai descer. Não desceu. Agora desceu. Agora??! Parou na portaria, que bom. Décimo nono. campainha. Ninguém, fui o primeiro a chegar. Janela praver a rua. Chegou! Bom dia. Bom dia. Hoje teu trabalho vai ser mais legal. Legal! Checar e-mails. Ninguém me manda e-mails... ah! Tem um aqui!... Ah! Fui eu mesmo que me mandei. To com fome. Cheiro de café. Vou conferir o blog. Gê postou. Pedro não postou. Toc toc. Vou atender a porta pra esticar as pernas. Bom dia. Merci, bonjuor. Ih! A Roberta comentou!! Quero água. Hora de trabalhar. Putz! Olha isso! 13 folhas A3. Quero escrever mas tenho que aprender a trabalhar que é bem mais legal.

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Sonora, qual a sua trilha?

Faço jus a comunidade do orkut que diz que toda vida tem sua trilha sonora.

Vou além, toda vida tem suas trilhas sonoras.

Hoje acordei cedo e fui estudar, estava no computador lendo sobre topografia e desenhando uma trabalho pra faculdade, obviamente não estava silencio, peguei um CD que já estava esquecido no meu armário, um presente da ex namorada, coloquei na "vitrola" e me deliciei redescobrindo Legião Urbana.

Quando começou a tocar pela segunda vez as letras já haviam voltado a minha lembrança e eu cantava junto, com isso fui prestando atenção nelas e não encontro palavras que definam o quão compatível algumas são com minha atual condição de vida...


O pior é quando elas seguem justamente a sequência conflituosa que domina minha cabeça.

Atualmente transito por duas condições distintas e me surpreendeu ouvir em sequência duas musicas que definem precisamente tais condições. Fiquei feliz.

Viva Renato Russo!

Urbana Legio Omnia Vincit!

O CD em questão é o DOIS, fica a dica para aqueles que gostam dessa banda... E para aqueles que simplesmente não a odeiam.


"Tenho andado distraído
Impaciente e indeciso
E ainda estou confuso
Só que agora é diferente
Estou tão tranqüilo
E tão contente...

Quantas chances desperdicei
Quando o que eu mais queria
Era provar pra todo o mundo
Que eu não precisava
Provar nada pra ninguém

Me fiz em mil pedaços
Pra você juntar
E queria sempre achar
Explicação pro que eu sentia
Como um anjo caído
Fiz questão de esquecer
Que mentir pra si mesmo
É sempre a pior mentira

Mas não sou mais
Tão criança, oh! oh!
A ponto de saber tudo...

Já não me preocupo
Se eu não sei por que
Às vezes o que eu vejo
Quase ninguém vê

E eu sei que você sabe
Quase sem querer
Que eu vejo
O mesmo que você...


Tão correto e tão bonito
O infinito é realmente
Um dos deuses mais lindos
Sei que às vezes uso
Palavras repetidas
Mas quais são as palavras
Que nunca são ditas?

Me disseram que você
Estava chorando
E foi então que eu percebi
Como lhe quero tanto...

Já não me preocupo
Se eu não sei por que
Às vezes o que eu vejo
Quase ninguém vê

E eu sei que você sabe
Quase sem querer
Que eu quero
O mesmo que você..."

domingo, 6 de setembro de 2009

Boi, boi, boi , boi da cara caríssima


A desigualdade social está aí pra todo mundo ver, mas de madrugada em canais de leilão ela é mais exposta.

Um anel vale mais que minha casa!

Mas aí se muda o canal e que se vê são bovinos limpos e elegantes defecando ao vivo. Eles estão à venda. Há também um locutor que fez curso pra pastor evangélico mais foi reprovado na prova final, acabou ali, vendendo vacas e bois... bois reprodutores, que segundo a lógica é mais valioso que um boi comum.

Aí você lembra aquele dia que foi visitar uma tia na roça e viu ali, pastando na beira da estrada um animal gordo, grande e fedorento, sua mãe disse que era uma vaquinha e você repetiu: baquinha!

Mas e agora??! Que realidade é essa??

Um único quadrúpede branco com uma espécie de corcova nas costas custa 10 mil reais, ou melhor, 14 vezes de 10 mil reais!!!

Triste é quando chega o dia em que uma vaca vale mais que sua vida...

sábado, 5 de setembro de 2009

Verdades sobre o ônibus


1º Se você precisa ele vai demorar

2º A probabilidade de ele estar cheio na hora do rush é só de 10%, acredite!

3º A probabilidade de estar “imensuravelmente” lotado é de 90%

4º Você precisa se segurar nas barras de ferro, mas um catador de lixo, um “masturbador”e uma criança com meleca nas mãos também precisam.

5º As leis da física não se aplicam nesses coletivos

Parágrafo único: Salvo quando tais leis o iram atrapalhar, atrazar, ferir ou prejudicar, nesses casos não só as leis da física como as outras sempre funcionarão perfeitamente e sem exceções pra confirmar regras.

6º Se você não precisa ele vai passar... e vazio.

7º Quanto mais adversas sejam as situações, mais engarrafamentos o ônibus vai atrair.

8º As placas que informam a quantidade máxima de pessoas em pé, sentadas, proibição do uso de aparelhos de som e cigarro não estão ali por acaso, são na verdade uma piada para descontrair a viagem.

9º É verídica a relação:
Ônibus está para atraso, assim como o atraso está para a pressa, assim como a pressa está para engarrafamento.

10º Seu ônibus chegar na hora e vazio não é sinal de sorte, sorte é outra coisa. O azar anda sempre de ônibus.

domingo, 23 de agosto de 2009

Breves comentários sobre o mundo em que vivo, o mundo virtual.




Pra começar um breve resumo histórico:


Tudo começou quando um cara inventou uma coisa que emitia dois sinais, aí veio outro cara e lembrou de um terceiro cara que inventou um mundo de dois dígitos, daí foi a vez de juntar as duas invenções e criar uma maquina, aí essa maquina recriou o homem, que por sua vez foi criado por um deus e esse mesmo deus foi criado pelo homem. Enfim, 42.




Pra desenvolver, alguns fatos comparitivos:


O importante nesse longo blábláblá é que depois que o computador começou a reger o universo ele rege o Universo.

Antes as fotos eram tiradas com o intuído de recordar mais tarde aquele momento, ou para fins artísticos. Hoje as fotos são tiradas de forma que futuramente chamem mais a atenção no orkut.

Antes quando alguém era prepotente o suficiente e achava sua vida o Maximo, ele escrevia um livro, uma autobiografia. Hoje todo mundo se acha gente o suficiente pra informar pra todo mundo que lhe acontece rotineiramente usando o twitter.

Antes pra você que não tinha condições financeiras e tinha tendências marginais roubo de álbuns musicais era feito em loco, nas lojas, colocava-se o vinil ou a fita cassete em baixo da blusa e saía de fininho. Hoje você digita no google o nome do álbum e a palavra download e pronto, sem emoção e sem disparos você burla a lei e rouba o álbum. Ou seja, a tecnologia facilita até a marginalidade.

Antes você saía de casa para se divertir e lamentava a chuva. Hoje é comum você perguntar pra algum sortudo no msn que tenha o PC próximo à janela: “Ta chuvendu aih?”. Ou seja, o site clima tempo é mais visitado que o próprio quintal e o analfabetismo funcional se prolifera mais que sagüis.

Antes você só escrevia sua opinião quando era realmente bom pra descrever coisas e realmente inteligente pra comentar situações, nesses casos um jornal lhe pagava para levar suas palavras em colunas semanais a leitores que iam até bancas de jornais comprar um papel em que suas palavras eram impressas, e assim tal leitor já aproveitava pra saber como estava o tempo. Hoje qualquer projeto de cronista cria um blog e prolifera porcarias a torto e a direito pela rede, e quem lê pode abrir em uma segunda aba do navegador o site clima tempo e já aproveita pra saber como está o dia lá fora.



E pra terminar, final.

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Resumo de uma semana assim, meio assim.




Segunda-feira:

É demais esperar que eu lembre exatamente o que eu fiz na segunda sendo hoje sexta, mas sei que foi o dia pré-prova do DETRAN e o primeiro dia de aulas do segundo semestre. Quanto a ser pré-prova do DETRAN, dane-se, isso não muda nada minha vida, mas quanto a ser o primeiro dia de aula, aí sim, isso muda muita coisa. Por ser o primeiro dia eu estava ansioso, por ser do segundo semestre eu já sabia o que o me esperava então minha ansiedade era pela hora de ir embora. Cheguei atrasado, perdi uma aula, tive outra aula chata e fui pra casa dormir.

Terça-feira:

Dia da prova do DETRAN, um dia antes estava preparado achando que ia gabaritar, porém na terça tive certeza que ia ser reprovado, resultado: Errei uma única questão, a mais fácil! Isso mexeu com meu emocional, não consigo digerir o fato de ter chegado tão perto e morrido na bera do valão. Fui pra faculdade já com o humor de um passageiro de 756 que quer espaço em horário hush. Chegando no tal recinto universitário me deparo com duas horas seguidas de Recursos Hídricos e Hidrologia, não precisa dizer mais nada. O destino já com pena do meu ser fez com que minha aula de Arquitetura e Urbanismo fosse cancelada.

Quarta-feira:

Entrevista de estagio às 17 horas, aula só as 21 horas... Resultado: Ficar ouvindo o House tocar de 19:00 até hora de ir pra faculdade. Comecei a simpatizar com meu destino.

Quinta-feira:

Eu disse que meu destino tinha pena de mim? Que eu simpatizava com ele?? Pois é! Estava eu mais enganado que brasileiro pelo senado federal. O dia não foi dos piores, fui à outra oftalmologista pra ter uma segunda opinião sobre um problema nos meus olhos e tive a feliz surpresa de ver minha oftalmologista, isso já bastou. Ela me conquistou não só pela beleza, pelo profissionalismo, mas também pela simpatia e pelo sotaque singelo carregando um pouco os “s” finais. Mas como meu destino é do tipo que da o doce, mas o toma de volta segundos depois com um soco na cara meu dia na faculdade não poderia ser bom, claro! Primeira aula era TOPOGRAFIA, pra quem fez curso técnico em edificações já sabe que não preciso dizer mais nada e quem não fez imagina que eu não preciso dizer mais nada. Puta aula cheia de surpresas, umas hiper desagradáveis, outras assustadoras, mas interessantes. Só que era TOPOGRAFIA! Nem um poema divertido conseguiu me salvar. Logo depois fui pra aula de Fenômeno dos Transportes. O professor é uma figura, mas a matéria...

- Eaew Leo! Tranquilo??
- Tranquilo! E você?
- Eu to bem, vai pra que aula agora?
- Fetrasp
- Caralhooooo! Ta fudido! Sabe que ela é só introdução a mecflu né?!
- ...
- Muleke! Ta fudido! Pega o pior de física II e piora ainda mais...
- ... (as lagrimas começam a querer descer dos meus olhos)
- Mas relexa, a pica grossa mesmo é mec.flu. mesmo assim toma cuidado, só estudar que da pra passar
- ... tomara né?! (a esperança começa a surgir)
- É pow! Da sim... puxou quantas matérias?
- Sete...
- SETE???!?! AHAHAIUAUHAHUAAUHAUHUAHAUHAHAA! TA FUDIDO!!!!


Fui... mas nem sei como. Isso é ou não é uma surpresa desagradável??! Eis que vejo uma luz no fim do túnel e nela há um papel escrito em vermelho: REPROVADO! Mas a vida é feita de desafios, já dizia um desses comerciais de TV, e ficar de bobeira é bobeira, se ta no inferno abraça o capeta!




Hoje é sexta feira, tenho Calculo numérico e Física III Dizem que se eu passar vivo por esse período eu ganho um lote no céu sem nem precisar negociar com pastores donos TV nem mesmo vender minha alma a um qualquer que me acha surdo e berra o nome de um judeu que morreu injustamente a mais de dois mil anos pregado entre ladrões.

sábado, 15 de agosto de 2009

Trilhando e Cantando...














A idéia era começar a fazer coisas antes dos 25 anos. A lista começou pesada.
E por isso foi separada mentalmente em coisas a serem feitas até os 20 anos, 21 e assim vai...

Pular...

Voar...

E viajar pra outro país.

Isso tudo ficou do lado de lá, é estritamente necessário ter um emprego pra isso.
Então as coisas do lado de cá:

Trilhas.
Shows.
Luau.
Evento esportivo.
Dias longe...

Enfim, a lista é razoavelmente curta e isso a tornou possível. Aí mora a novidade, N outras vezes se marcaram coisas a fazer, N outras vezes coisas ficaram por fazer.

Em um papo durante o pôquer descubro outro infeliz com devaneios semelhantes e idéias a espera de uma organização. Foi a gota que faltava.

“Vamos fazer uma lista de coisas e ir fazendo”
“Melhor! Vamos marcar uma coisa, depois de ver que deu certo marcamos outra”
“E a primeira coisa?”

Eis o momento de expor minha idéia: Trilha pelo pão de açúcar. A idéia já tinha sido descartada por uma amiga antes, por motivos outros. Mas e agora? Será?

“Porra! Partiu!”
Aí foi só colocar a mochila nas costas...

E partimos...

Não sei quanto aos outros, mas pra mim foi melhor do que imaginava. Ou seja, se o primeiro passo deu certo, não tem como os outros não seguirem a mesma trilha...





“Domingo vou ao maracanã, torcer pro time que sou fã...”

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Móveis!




Tudo bem se Móveis não é a melhor banda de rock alternativo...

Mas é impossivel não ter o melhor show...





Agora é votar é fazer justiça!

Móveis é o orgulho da musica nacional!




"Minha intuição não me engana
Você me faz ser tão Copacabana
E o inferno lembrar
Fim de semana
"

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Um ensaio sobre a cegueira.


Terça-feira 11 de agosto de 2009, taquara, Rio de Janeiro. Dia de fazer a BIOMETRIA ULTRASSONICA.


Uma consulta regular ao oftalmologista. Blábláblá de sempre e é hora de fazer a BIOMETRIA ULTRASSONICA.

Mas perái! Da ultima vez eu não precisei dilatar tanto assim a pupila!

É, mas preciso conferir uma coisa.

Ta né...

Assim começou uma das experiências mais bizarra da minha curta e “desemocionante” vida. Já estava acostumado a fazer a biometria, mas como disse nunca precisei usar tanto colírio como dessa vez. A medica viu algo que não devia no meu olho, aí precisava estudar melhor... O colírio arde e é uma merda ficar esperando até ele fazer efeito, mas nada se compara ao que vem depois.


Agora você já pode abrir os olhos.

Ok... UOOUU!

Até 4 palmos a minha frente o mundo se tornou oculto. E nem digo como é desconfortável ter sua pupila dilata ao extremo e sair no sol da taquara logo depois... resultado: Fiquei praticamente cego!

To pra ver sensação mais desagradável...

Aí como não estava acostumado a enxergar mal fiz N coisas bizonhas na rua... Muitas engraçadas se não fossem trágicas, mas como eu não estava enxergando bem não pude anotar... daí, obviamente, esqueci tudo.

Exceto pequenas coisa:

1- “Vi” que sei digitar uma msg no celular sem precisar olhar. (Eu acho)
2- Alarme falso é comum quando não se está com o melhor da sua visão, mas confundir uma coisa qualquer com um ônibus pode ser humilhante.
- Olha o ônibus!!!
SUSTO!
-Que ônibus porra??!!!
3- Ir ao banheiro, saber que tem uma placa próximo a privada mas não ter idéia do que ela diz é um problema serio.
”Será que é a clássica ‘não jogue lixo no vaso’?”
”Será um aviso que a privada esta inutilizada?”
”Será que isso realmente é uma placa???”
Precisei tirar uma foto com o celular pra tirar a duvida depois.


Enfim, conheço formas mais legais de se aventurar.




“Sentei, chorei e compreendi
Que não havia só um cego ali
E perturbado ao dizer,Escute aí você:
"Quem é que não enxerga aqui
Será eu ou você que não percebe?"”

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Igual aquele filme que eu vi no cinema...

Filmes: a representação em cenas do que é fantasticamente imaginável e humana impossível.

“Mas Leo, não há exceções?”

Claro meu filho, sempre há exceções. Mas são raras e pouco populares.

“Você é muito pessimista, vai se foder!”

Realidade não é pessimismo.

“Mas de onde você tirou isso, meu querido?”

Então... Eu hoje vi um filme bem bacana, roteiro legal, atores fora da linha padrão norte americana e cenários fantásticos. No tal filme uma dura realidade é mostrada, muito inconveniente, porém muito real.

“Ah! Esse é um daqueles filmes que não são populares?”

Não, esse filme é mega popular, quase todo mundo já viu ou ouviu falar.

“Ai porra! E aquele papinho que filme bom não é popular?”

Pois é, eu nunca disse isso. Na verdade o que eu disse é que os filmes são uma enganação, não mostram quase nunca a realidade. Só que isso não o impede de ser bom.


“Aaaah... é verdade...”

Mas analisando esse filme eu posso separa o enredo em dois. Uma parte é o clichê Maximo das telonas, o romance. A outra parte é o cenário de fundo desse romance, nesse caso, o tal cenário de fundo mostra uma realidade bem interessante: Pobreza, miséria, crime, desventura, pouco dinheiro e luta por dinheiro.
Redundante?
É, mas só o suficiente pra enfatizar a coisa.


“Ah! Acho que sei que filme é esse...”

Pois é, o nome do filme não é importante, o importante é ser um filme.

“Ih... começou””

Eu queria falar da parte mais bonita desse filme, o tal do romance.

“Num falei... começou...”

Pois é, fato que você já percebeu que eles sempre dão certo em filme, sempre. Mas na vida real nunca é assim, os tais problemas que vemos em filmes são idealizados num mundo perfeito, mundo esse para o qual não fui convidado. O que me resta?

“É, diz aí, o que te resta?”


Resta-me apenas imaginar como seria interessante interpretar na vida real um filme.


“Que??!”

É meio difícil que alguém entenda, mas eu queria mesmo interpretar do lado de cá da tela uma vida afortunada com amor, sorte e bom humor.

“Como assim mané?”


Tipo nos filmes mesmo. Sofro um acidente e ao lado da minha cama no hospital há uma linda moça com tudo em comum comigo. Do nada descubro que sou herdeiro de um mafioso italiano riquíssimo que acaba de morrer, descubro também que pra poder usufruir dessa grana vou ter que provar que ele não matou um milionário chinês chefe de outra máfia. Nessa briga toda eu não tomo um tiro se quer, a tal moça do hospital se mostra muito útil e sentimental mas em algum momento ela é sequestrada pala máfia árabe que esta interessada na minha herança. Nesse ponto eu que me mostro sentimental, luto contra todos ao lado de um amigo de infância que descobri ser da CIA, penso em abrir mão de toda minha fortuna por ela. Luto mais sem morrer, mesmo que antes nunca tenha pegado numa arma. Salvo-a, mas ela foge com o meu amigo (é, aquele da CIA). Fico revoltado, mato mais que dengue no verão ou gripe suína no inverno. Tudo em busca de vingança. Mal de corno. Chegando no fim descubro que ela fugiu com ele por amor a mim. Enquanto sequestrada pelos árabes ela descobriu que ele sim havia matado o líder da máfia chinesa e tinha como plano conquista-lo pra arrancar toda verdade, nós nos beijamos e aceitamos o fim. Nesse momento o amigo da CIA, que descobri ser um filho da puta, resolve falar tudo e eu obviamente estou com um gravador na mão. Gravo tudo, mostro as autoridades. Meia dúzia de sorrisos e cenas de sexo e sobem os créditos. Pronto, eis o felizes para sempre.


“Caralhooooo! Tu fumou orégano molhado pra escrever isso??”


Não, mas eu vejo enlatado americano desde que me entendo por gente. Se bobiar até antes disso. E agora quero uma fatia desse queijo... Nem que meu conto de fadas dure só alguns meses, vou saber investir o dinheiro da máfia italiana.

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Twitter

A nova moda virtual.

Idiota como quase todas as outras. Orkut... MSN... Blogs...


Mas pode ser util e interessante.



Pode, mas não quer dizer que é.

terça-feira, 4 de agosto de 2009

Palavras soltas (Pelando o André)



Hoje eu tenho que ir na auto escola. Passa na taquara. Vamos no shopping? A roupa já está seca? Preciso ir na sua casa, mas você mora tão longe. Isso vai acabar te matando. Eu sei. Exato. E cada vez mais longe. E nem vou te pagar. Melhor assim, dois coelhos com uma só cajadada. Me da uma solução mágica aí! Tem a minha foto comendo pizza? Que shopping? Cara, que faculdade? Vou. Também vou. Me liga. To saindo agora. Cheguei, vou liberar o bagulho. Eu desço? Não demoro. Ta, vou descer. Quero liberar a marcação. Terminou sábado? Madureira. Barra. Tem mais? Jacarepaguá. Freguesia. Não jogue papel no vaso sanitário. Cadê ela?!! Você cortou o cabelo e não cortou a barba. Não tem graça. É pra lá! Eu não sei. Revela foto digital? Ok, obrigado. Imã. Ônibus. Não! Agora vai. Sou filha da puta. Morar sozinho. Claro que vou dirigir pra vocês. Estacionamento. Que Isabela? Alguém nos fundos do shopping? Aham! Vou beber água. O que você tem pra fazer aqui? Banheiro. Não sei. Itaú. Revelação. Livro. Sono. Se fudeu! Gastar. Biscoito. Lojas americanas. Gastar. Vamos sentar ali. Esse lugar me traz algumas lembranças. De quando eu era criança. De quando eu fiz 18 anos. O nome era bonito. Refrigerante. Coca cola, NÃO! Bêbados. HAHAHA!Então ta, vamos fazer isso. Quero doce. Andar. Gastar. Muito caro! Vou nessa. Sou insaciável. Alô? Me espera. Gripe suína. Dia 17. Piano. Adoro piano. Parece o House. Vamos seguir o cara? Loucura. VAMOS!Trilha, vamos fazer. Quarta? Dentista. Terça? Oftalmologista. Morrer comendo doces. Minha amiga. Carona. Esqueceu de mim? Inatingível. Não é segredo, mas ninguém sabe. Nossa que linda. Tem lugar? Ta cheio. Não vou em pé. Ela ta com gripe. Licença. Sobe. Caiu. Desce. Muleque, to de férias! Gripe? Suína.

quinta-feira, 30 de julho de 2009

Bem natural...

A morte é um fato.
portanto
eu, você e eles também vamos morrer um dia. Como carioca, as chances de morrer mais rápido é maior, então porque não pensar nela?

Mas pensar sem baixo astral, só pra não ser pego desprevenido. Tipo assim, se eu morrer jovem (ou velho) eu gostaria de ser lembrado, não com uma estatua ou fotos em livros velhos, mas com comemorações. Obvio que não é pra comemorar no dia em que eu morri, e sim no dia em que nasci (Pros desavisados, foi no dia 5 do primeiro mês).

Seria legal todo ano os meus amigos se juntarem pra se divertir. Tipo um dia sagrado, todo ano é certo.

- Alo?!
- Fala, filho da puta! Tranquilão?
- Tranquilo, to ligando pra saber qual vai ser a desse dia 5 e te desejar um feliz ano novo...
- Pois é... Tava vendo aqui e cai em uma quinta-feira, vamo lá naquele bar e no sábado a gente comemora direito
- Já é então... abraço



E nas comemorações não vai ter choro, nem vela, talvez apenas uma fita amarela.

Não que seja proibido chorar ou levar velas, isso vai da cabeça de cada um, quero dizer que a idéia não é essa...

Quero piadas, risos. Tudo com muito respeito, vale dizer:

- Porra! Leo ia se amarrar nisso aqui...
- É mesmo, aquele filho da puta adorava lugares assim...

Não vale:

- O Leo era um desgraçado, ainda bem que morreu...

Afinal, se é pra falar assim é melhor nem ir.

Pedro quer um sorriso na face, eu quero diversão póstuma

terça-feira, 28 de julho de 2009

Dia ruim

C_mpl_te

Adeus,

Pode rasgar nossa lista de casamento, o tempo que era seu acabou. Sei que isso pode te deixar sem rumo, mas na falta de alguém melhor, um cão guia muito melhor que eu. Se eu era complicada agora tudo se descomplica, estou indo pra não voltar. Pois quando até um café com leite é motivo para briga é porque está chegada a hora de escolher se é pra manter ou mudar. Eu escolhi mudar, isso é bem natural nessa situação, afinal diante deste falso retrato, forjado, fingido que é nossa relação que outra escolha eu teria? Você pode dizer que sou cheia de manha, ou até ficar sem palavras, mas onde antes tinha amor hoje só há indiferença.





C_mpl_tei