segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Café e paranóia.

Acabo de encher um recipiente de café bem quente e forte. Não usei açúcar, simplesmente encho xícaras após xícaras e bebo.

O café me relaxa tanto quanto um banho quente, bem tomado.

Porque preciso relaxar?

É minha cabeça que esta cheia.

Nada tão grave, mas bastante perturbador.

Sabe quando você erra em uma atitude? Pode ser bem simples... Mas você arrisca querendo agradar e... erra.

Não, não estou exagerando. O meu erro foi verbalizado. Sem pena.

Isso ainda não faz da coisa, uma grande coisa. Mas né... Ainda é uma coisa.

E por não sai da minha cabeça.

Sou realmente paranóico. É horrível ser paranóico. E eu sou paranóico, logo devo ser horrível.

É o tipo de coisa que se pode simplesmente esquecer, sabe?!

Quer um exemplo?

Não há necessidade de eu levar um presente. Mas eu vi aquele DVD que era a cara da pessoa. Fui lá e comprei. Aí ela diz que não gostou.

Sinceridade pra você.

O fim do mundo pra mim.

Tudo bem, não exatamente o fim, mas uma bomba nuclear pelo menos.

Aí eu preciso que isso seja verbalizado, sabe? Poder abrir o jogo e dizer que fiz essa cagada e ouvir alguém me dizer que não foi grande coisa.

Que eu posso ter errado no presente, mas que já acertei antes, em outras coisas.

Mas, sinceramente, você iria querer me ouvir falar sobre uma paranóia dessas?!

Não?

Então...

Aí a paranóia piora. O agravante tem nome: Insegurança.

Sou um paranóico inseguro.

Então matematicamente sou insuportável pra maioria dos seres humanos.

E aí?! Engulo isso e durmo feliz?

Não dá.

Café.



- ... o meu é puro e sem açúcar, por favor.

2 comentários:

AyméeLucaSs disse...

Olha eu aqui de novo!
Eu li o seu post ontem, e hoje pela manha ao beber cafe que eu adoro, lembrei do que escreveu e pensando em tudo que voce escreveu,disse a mim mesma: "Depois escrevo para ele" rsrsrs

Sabe a gente que gosta de cafe, nao podemos beber este maravilhoso liquido com raiva, pra aliviar esta ira, rsrsrs

Eu teria um conselho para te dar que aprendi ao longo do tempo, e muitas vezes foi com uma pessoa que convivi por dez anos, que pra dizer a verdade era um esperto em tramoias, era um artista na hora de se sair bem em qualquer situaçao. Até se traisse ele se dava bem, kkkkkkkk (exagerei, rsrs)

Entao lendo tudo eu diria que a gente tem de ter sempre duas cartas na manga...
Ex: Nesta situaçao para voce nao sair perdendo e com uma raiva embutida, kkkkkkkkkkkkkkkk raiva dentro, rsrsrs eu diria que naquele momento em que a pessoa ao receber o presente que voce se preocupou tanto em escolher para agradar, chegar com uma resposta como aquela... Voce teria automaticamente em questao de segundos acender a luz(ideia... segunda carta) e dizer:
Ahhh que alivio, graças a Deus que voce nao gostou, porque na verdade quando eu comprei este dvd eu so pensei em agradar a mim mesmo! Na verdade parecia que eu estava comprando para mim... e da uma risada, kkkkkk e diz ja que nao te serviu, nao te agradou eu levo pra minha casa, tranquila... to com raiva nao, nem um pouco!

Ai sim , quando voce chegasse em casa o seu glorioso cafe seria dos Deuses, kkkkkkk
Duas cartas na manga...(dois empregos, porque se perder um tem outro, duas namorada, kkkkkk)
Beijao

Rodrigo disse...

sashauhsausuah
é uma desgraça na sua vida. Eu sei.
Mas pra mim não é nada demais.
Assim como a desgraça da minha vida não é nada demais pra vc.
Somos parecidos, ou sei la o que.
Quanto mais as pessoas dizem que nosso problema é minusculo, mais nosso problema cresce na gente. É estranho isso.
Aí a paranóia aumenta. Porque a gente se sente esquisito né?
É, não é?
Bom, eu acho que é.
Meu, curti o texto pra caramba :)