quinta-feira, 28 de agosto de 2008

Na falta de algo melhor.. leia isto


Vim aqui deixar um post.
E me apresentar:
Sou a Vanessa, acho que todos que frequentam esse blog me conhecem.
Fui incluída aqui para dar a minha colaboração nesse show.
E é incrível como as idéias sumiram da minha cabeça a partir do momento em que o Léo me incluiu aqui.
Eu não funciono sob pressão.

Havia uma barata no meio do caminho.
No meio do caminho havia uma barata.
O que você faz?
Desvia da barata, pisa na barata ou sai correndo apavorado?

Eu fico imóvel e grito bem alto:
-Mããããããããããããããããeeeeeeeeeeeeeeeeeeee! Socorro,tem uma barata!

Se baratas fossem, ladras, sequestradoras, ou qualquer tipo de criminosas, eu já estaria morta. É incrível o poder que essas bichinhas têm de me deixar totalmente paralisada como uma presa aterrorizada diante de seu matador.

Certa vez, um amigo com um gosto bem exótico me emprestou um livro chamado " A metamorfose" De Franz Kafka
Adivinha o assunto do livro?
Barata!
Um jovem rapaz que simplesmente dorme homem e acorda no dia seguinte transformado numa barata!
Assim: puft!
Eu não sei como eu tive estômago pra ler o livro até o fim. A curiosidade me forçou a continuar, mas somente para ver um final trágico...
Foi o livro mais angustiante que eu já li. E apesar de ser uma história completamente alucinada, o dono do livro me alertou para um sentido maior, embutido naquela história aparentemente nojenta e de mau gosto.

O que me faz escrever sobre isso hoje, é que depois de muito tempo, a história desse livro me faz refletir. Refletir sobre como as pessoas podem ser excluídas, humilhadas e rejeitadas pelo que elas aparentam ser. E como isso pode acontecer dentro de uma família, no lugar onde você deveria se sentir incluído e aceito pelo que é na essência.
Existem muitas baratas por aí, muita gente que se sente sozinha no meio de uma multidão.
E eu não escrevo isso para dar lição em ninguém, porque eu sei que eu mesma, em algum momento da minha vida, posso ter tratado alguém assim, feito uma barata.
Assim como um dia também me senti uma barata.

Então o que você faz agora?
Desvia, pisa, sai correndo, ou se permite um segundo olhar?

9 comentários:

Léo disse...

Desvio, aí penso um poco, volto e piso... depois me permito um segundo olhar... pra ver como ela fica esmagada... e por fim saio correndo pra procurar algo melhor a fazer...
=D

sacanagem ... vcs sabem que não faria isso ...

bem vinda! depois de 15 anos esperando... ja tinha té esquecido qui vc tbm tava no blog :P!

Arth disse...

Barata?! Onde?!

Léo disse...

HUUUUUMMM

hauhauhaua

Nessa disse...

dooooisss!
hauhua

Arth disse...

me recuso...

Marazzo disse...

caraca..ela escreve melhor que eu ! =O


bom..eu n piso na barata..n mato animais.

eu só desvio ..

mas se ela voar em mim eu grito

e se ela voar na minha comida eu como ela junto .

se ela voar no meu talher, eu como o coração dela na ponta da faca.

se ela me beijar, eu caso com ela.


quando eu era criança, meu irmão mais velho costumava dizer que se vc dorme de boca aberta, babando, uma barata vem e lambe a sua boca !!

eu sempre mantive essa cena na minha cabeça, como sendo algo sensacional..imaginem uma barata colocando a lingua pra fora, pra lamber sua boca.

digno de boas risadas neh ?

neh ?

=(

Marazzo disse...

parabéns Vanessa..adorei ler oq escreveu ..continue por ai. =)

Nessa disse...

Haha.. é digno de boas risadas sim..
eu também já ouvi muito essa história sobre a barata lamber a boca..
tinha mó medo disso! Aliás, tenho!rsrsrs

Obrigada Sr. Marazzo

Pedro disse...

Ah eu piso mesmo e ainda rio dps q acabei

e sou a favor que a vanessa crie um brógui tambem