domingo, 28 de setembro de 2008

Eu estou triste, tristinho...

Realmente o dia 27 de setembro tem o poder de mexer comigo.

Eu mal dormia nas vésperas dele quando era menor...


Se fosse dia de semana eu pensava em mil maneiras de convencer minha mãe a faltar a aula...
Se fosse fim de semana eu tramava inúmeros planos pra convencer minhas tias a me levar o mais cedo possível pras ruas...


Nossa! Quantas lembranças!! Caraca! E não é só comigo, acho que todos tem historias ótimas e engraçadas desse dia.

Putz! Como era bom sair bem cedinho de casa e ficar na rua o dia quase inteiro!
Caraca! Como era bom ir encontrando um amiguinho da escola e se juntar ao grupo dele, e depois a outro e outro e outro e no final os 3 que começaram já eram 16 e estavam todos conversando em volta daquele bando de doces como se fossem amigos a anos e na verdade você só conhece metade daquele grupo ...ou menos... no dia de são Cosme e são Damião todos acabam amigos... exceto nas filas quando um espirito de porco tentava furar.

Até isso era legal, você ta na fila aí vem um cara maior entra na tua frente e você não pode fazer nada... aí um daqueles caras que entrou no seu grupo mas você sequer sabe o nome dele, mas sabe que o apelido é Diguinho, vem e encara o cara maior, te defende e pronto! O grandalhão vai embora e vocês pegam os doces e contam piadas...

E quando chove!? Estragou o dia?!

CLARO QUE NÃO! A lembrança mais legal do dia de SC e SD da minha vida foi uma em que choveu a manhã toda e muito! Eu arrumei uma capa dessas descartáveis amarelas que chamam muuuito a atenção e fui pra rua. Achei uns amigos que se quer capa tinham e estavam vestidos em sacos de lixo (daqueles azuis grandes) e se divertiam fingindo que eu era o “guia” e que enquanto eu estivesse na frente ninguém ia se perder... me senti “o cara” aquele dia... mesmo quando mandavam eu apagar a luz... :P!

O companheirismo e a solidariedade desse dia também me emocionam hoje quando lembro...
Nesses grupos quantas vezes eu já vi um “companheirinho” (conhecido ou não) que justamente na sua vez os doces acabaram... o pobrezinho ficava tristinho... mas não por muito tempo, sempre um outro, que por estar na rua por mais tempo tinha mais doces na mochila, oferecia um, só pra ele ficar feliz... e isso sempre dava certo... afinal era por pouco tempo já que rapidamente haveriam outras filas, outros doces e aquele saquinho não faria diferença...

Metade dos doces que eu arrecadava eu nem gostava, mas chegar em casa e contar era tão bom que até hoje poucas sensações se comparam...
Ah que saudade!

Buaaaaa!!!

3 comentários:

Arth disse...

Momento nostalgia!!!
putz como lembro desse tempo...
E como me divertia...
aber os locais certo onde ta doce..
Ver uma multidão de crianças correndo pra uma direção e tentar correr mais rapido pra pegar o doce primeiro...
correr o dia inteiro por varios lugares, e do nd para um carro do seu lado e ti dá doce...
Chegar em casa e perceber q tem vários potes de doces cheios!!!

Pedro Porra disse...

haha

a amiga do meu irmao mais velho da festa de sao cosme e damiao

ele troxe varios doce

kkk

Lucas disse...

de pois q o sol se pos
eu pensei!
esse foi o ultimo ano
mais o tempo passa ...
e tem momentos na vida, q agente tem q levanta a cabeça e dizer ...
agora acabou.............